Posts recentes...clique...navegue...explore!

30.6.17

Espasmo



Deixa pra lá...
Você briga enquanto dá para ser

Se claramente não dá
Você luta exatamente pelo o quê?

Deixa ser
Deixa ir...


2017


29.6.17

Recaída


Estou toda colada em você
A boca, o peito, o ventre, o sexo

Meu coração bate tanto e tão forte
Que o sinto subindo pelo pescoço

Minha respiração está acelerada
Meu corpo todo pulsa e treme

Quero te esquecer de verdade
Mas não sei por onde começo

Você está todo em mim...

2017

28.6.17

Então tá... (2)


O verbo surpreender parece que não está mais vigente
Tudo branco ou preto, mais frio do que quente, em linhas retas ou preso em círculos
Onde estão os alguéns meio Bossa Nova e Rock'n'Roll?
Para quem é torta, fora da caixa, sem código de barras...
Como faz?


2017

27.6.17

Status



Sou boa de amar, mas também sou boa de esquecer
Mergulho fundo sem medo de me molhar
Mas também sei voar rápido se precisar
Então ou vem direito ou vai sem olhar pra trás


2017 


Photo: Annelie Pompe (sepia version)

25.6.17

Plena + Atitude


Há fatos nefastos e desnecessários
Que servem para você voltar a ver
A beleza e a felicidade de ser quem você é
De saber o que você quer
Para onde e por onde quer ir
Se quer voltar ou continuar

As vezes tudo fica completamente nublado
E quando clareia, lá está você de novo
Com sua sorte, agruras e percalços
Sem roteiros que outros escolheram
Sem limitações de quadrados impostos
Apenas você e a vida sem medos
Com liberdade de cometer acertos
E erros...

Vestida com seu amor próprio
Com sua paixão incondicional
E o imenso tesão de ser você
Não é fácil chegar a essa condição
De ser o âmago da sua própria questão
A protagonista da sua própria história
A estrela principal nas cenas de ação....da sua própria vida.

2017

24.6.17

Restaurando


Adoraria jogar suas roupas no lixo
Pisar no seu fone de ouvido preferido
Quebrar os vidros do seu carro com martelo
Mas não tenho nada disso

Só tenho coisas invisíveis, não palpáveis
Apenas impressões, sensações e suposições
Apenas um envolvimento remoto e desconexo
Repleto de não intenções e de contradições

Então vou mudar a minha playlist rápido
Deletar sem pena músicas que até gosto
Limpar cada cantinho até o último vestígio
Vou fazer uma faxina em todo o ciberespaço

Mas, não vou detonar nada do que é seu
Só vou me desfazer de tudo o que é nosso
Colar o que rachou para não ter que catar cacos
A destruição pode ficar toda com você

2017

23.6.17

Desatinos


Em dias desarrumados
Por desilusões e despedidas
Não devemos nos despermitir nada,
Para poder compensar as nossas desvontades,
E não deixar nada retido...desapegar

2017

22.6.17

Reciprocidade


Palavras iguais chegam no mesmo momento
Revelando pensamentos simultâneos
Descortinando desejos idênticos

Fragmentos de frases se encontram no ar e se completam
Para chegarem inteiras aos seus destinos
Fazendo do um o resultado de todas as matemáticas

Textos se misturam e se complementam
Escrevendo uma história mútua a quatro mãos
De sentidos inéditos, não catalogados

Imagens evocam risos, cumplicidades, corpos e movimentos
Onde até as gotas de suor escorrem em sincronia
Não é tesão, não é paixão, não é amor...reciprocidade.

2017



21.6.17

O Senhor das Palavras




E lá estava ele, o Senhor das Palavras
Sempre sabia o que dizer com suas frases exatas
Doava palavras de apoio e força para os fragilizados
Distribuía para as mulheres galanteios sempre certeiros 
E usava sempre um tom grave e sincero com os mais velhos

E ela, que também era muito hábil com as palavras por profissão
Em um encontro no pátio, aceitou o desafio dele de trocarem verbos
Ele começou o jogo usando os verbos surpreender, conhecer e encantar
Despretensiosa, ela preferiu seguir o jogo usando o observar e o flertar
E ele, cheio de charme, quase a chamou de covarde por  não querer apostar

Levando tudo como uma brincadeira, ela usou o repetir, o sorrir e o permitir
Ele a olhou demorado e, como se já a conhecesse, usou o provocar e o instigar 
Acreditando que, com aquelas escolhas, ele estava jogava sério, ela usou o abrir
Ele então deu um sorriso desconcertante, e usou sem economia o cativar e o seduzir
Ela, sem medos e livre para jogar como bem quisesse, escolheu o aceitarprosseguir

Sem cerimônia, na contramão da jogada, ele subitamente tirou da cartola o desconversar 
Sem entender muito bem aquela sequência, ela ficou confusa e precavida usou o parar
Ele então afirmou contundente que continuaria, e escolheu usar conveniente pausar
Ela, dividida com a maneira com que ele jogava com as palavras, usou o retirar
E ele, para não perder precocemente, usou rápido o dissimular e o reafirmar

Tempos depois, Ele reapareceu para jogar sem compromisso de ganhar
E ela, sem perceber que já estava enredada, usou o recomeçar
Ele usou altas doses do desejar, do envolver e do cortejar
Impressionada com o alto teor de suas novas jogadas
Ela usou de uma só vez o ceder e o permitir
E ele, contrariando os rumos do jogo,
Sacou o desapegar e o sumir

Em reação, ela travou todo o jogo
Tempos depois, ele voltou com o incitar
Farta daquelas estranhas regras, ela usou o ignorar
Mas, mesmo sem jogar, o desafio entre os dois permanecia
E um dia, desarmada dos embates, ela apareceu usando o dialogar
Percebendo o momento, ele jogou pesado e usou o investir e o conquistar

Ela então, acreditando nas aparentes novas regras, arriscou usar o assumir
Enquanto ele, aparentemente firme, usou o querer, o demonstrar e o sentir
Segura com aquela coerência, ela avançou com o questionar e o decidir
Para sair do cheque mate, ele sacou que usou o tempo todo o iludir
Na hora ela viu que não era uma parceira e sim a própria jogada
Ficou abalada, admitiu que perdeu e por fim usou o partir...


2017

20.6.17

Insight


Em que vales moram as respostas para que possamos encontrá-las?
Em tudo o que foi dito antes, depois ou no que não foi dito?
Nas linhas, nas ênfases, ou nas entrelinhas?

Onde estão as sinalizações para encontrarmos o endereço das respostas?
Olhamos para frente, para trás, para os lados ou para nós mesmos?
E o que pode nos guiar na falta de sinalizações claras?

As respostas talvez estejam na alucinante necessidade delas.
Se é isso que nos impele, é porque o que aconteceu ou foi dito ficou incompleto.
E aí percebemos que o que procuramos não são respostas, mas pedaços que faltam...

2017 

19.6.17

Processando


Preciso trocar minha playlist rápido
Reciclar meus desejos
Pensar em novos destinos
Mudar o endereço dos meus sentimentos

Esquecer cenas que não se passaram
Beijos que não se encontraram
Braços e pernas de abraços nunca dados
Sexos que não se tocaram

Encarar esse des-encontro
Estradas não paralelas
Horizontes opostos
Inconvergências

2017 
Artwork: Felipe Guga (sepia version)




11.6.17

Desejo


Eu queria que você estivesse aqui
Onde eu pudesse encostar em você
Onde você pudesse ouvir meus silêncios
Onde suas mãos pudessem teclar no meu corpo
Onde meus gemidos pudessem ser acionados

Eu queria que você estivesse aqui
Nessa bolha que só a gente entende
Nessas diferenças que a gente viabiliza
Nessa cena que conhecemos mas nunca estivemos
Nesse dia ensolarado que não nos veria

Eu queria, quero, quereres