Posts recentes...clique...navegue...explore!

27.2.17

Entre Partos e Poesia


Não teve jeito, ela teve que voltar ao útero.
Foi uma viagem lenta, mas ininterrupta, só acabou quando algo se concretizou
Uma viagem de volta, para recompor a configuração original por ela condenada
Para procurar pedaços perdidos quase invisíveis de tão pequenos, mas seus
Para se livrar de muitas partes que não a pertenciam, foram acopladas

E lá, de volta, ficou algum tempo
Primeiro no escuro
Depois no silêncio
E então veio a água
E veio a luz de novo

Ela saiu
Dessa vez saiu no seu ritmo
Suave
Harmônico
Quase um ballet

Ao se ver do lado de fora
Depois de sair organicamente
Agora sem nenhum sofrimento
Pensou
Finalmente nasci.

2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se expresse!